domingo, 19 de abril de 2015

Adaptações dos animais ao meio ambiente

Os animais, para sobreviverem, precisam estar adaptados ao meio ambiente. Os factores do meio que mais influenciam os animais são:

- a temperatura;
- a humidade; 
- a luz.

 Para isso usam adaptações morfológicas (características do corpo) ou comportamentais.

Nas adaptações morfológicas temos essencialmente o revestimento e as extremidades (patas, focinho, orelhas)

Reparem no exemplo destes três tipos de raposa: raposa do ártico, raposa do deserto (Feneco) e raposa das regiões temperadas.








Reparem como o tamanho das orelhas está relacionado com a temperatura do habitat. Quanto mais frio, menores são as orelhas (para não perderem calor por elas). Contrariamente, o tamanho do pêlo é maior. E a cor? Mesmo a jeito para se adaptar à camuflagem...


Nas adaptações comportamentais, as principais são:
a hibernação - proteção contra o frio e a falta de alimento;
- a estivação -  proteção contra o calor, a falta de água e a falta de alimento;
- as migrações -proteção contra o frio e a falta de alimento .

A hibernação é um estado letárgico pelo qual muitos animais, em grande maioria de pequeno porte, passam durante o Inverno. Os animais mergulham num estado de sonolência e inatividade, em que as funções vitais do organismo são reduzidas ao absolutamente necessário à sobrevivência.
A respiração quase cessa, o número de batimentos cardíacos diminui, o metabolismo (todo o conjunto de processos que ocorrem no organismo), restringe-se ao mínimo. Pode-se dizer que qualquer animal que permanece inativo durante muitas semanas, com temperatura corporal inferior à normal, está em hibernação.


Rato do campo em hibernação



COMO É A HIBERNAÇÃO DO OURIÇO-CACHEIRO?
      O ouriço resiste às baixas temperaturas e à falta de alimentos, entrando num "sono" profundo e de longa duração. Durante este período, tanto a temperatura do seu corpo como o ritmo do coração e respiração baixam bastante. Para se defender do frio e da falta de alimentos, entra em hibernação, de Outubro a Abril. Bem gordinho, enrosca-se num ninho de folhas secas, onde permanece em sono profundo.
           O ouriço-cacheiro, em hibernação, apenas respira uma vez de seis em seis minutos, ou seja, 200 vezes mais devagar do que é habitual, nas estações do ano mais favoráveis. A sua temperatura pode chegar a descer de 32º C, ou seja, de 38ºC para cerca de 6ºC.
           Chegada a Primavera, retoma a sua actividade normal, alimentando-se de insectos, lesmas, minhocas, cogumelos e frutos, para recuperar o peso perdido e procurar companheiro(a) para acasalar.


A estivação, é um comportamento de certas espécies quando frente a determinadas adversidades ambientais. No que diz respeito aos moluscos pulmonados, como por exemplo o caracol, resulta quase sempre de uma proteção contra a seca temporária do habitats, com a passagem para o estado de dormência sem perda da vitalidade.
Com este comportamento, esses animais passam alguns meses do ano em estado de baixo metabolismo aguardando a época das chuvas em que se podem se alimentar e reproduzir. Com o retorno de condições favoráveis, os indivíduos estivados são capazes de retornar as atividades normais.



Uma migração ocorre quando uma população de seres vivos se move de um biótopo para outro, normalmente em busca de melhores condições de vida, seja em termos de alimentação, temperatura, água ou para fugirem a inimigos que se instalaram no seu biótopo.
As migrações podem ser temporárias, quando a população regressa ao seu biótopo de origem, ou permanentes, quando a população se instala indefinidamente no novo biótopo.
Em alguns casos, movem-se por falta de comida, geralmente causada pelo inverno. Muitos pássaros migram de lugares frios para quentes. A mais longa rota de migração conhecida é a da Gaivina do Ártico, que migra do Ártico para o Antártico e retorna todos os anos.

Migração animal:
http://ciencia.hsw.uol.com.br/migracao-animal.htm

Migração das aves:
http://cantodasaves.site40.net/migracao.htm

O Homem, ao contrário dos outros animais, em vez de se adaptar ao meio ambiente, adaptou o meio a si, construindo casas, roupas, produzindo electricidade para lhe dar luz e calor...

(atualização da mensagem de 11-12-10)

sábado, 18 de abril de 2015

Minhocas e fatores do meio ambiente - luz e humidade

Experiência -» clica aqui

Relatório -» clica aqui



Curiosidades sobre o tema:

Após uma época de muita chuva, é comum observar minhocas à superfície da terra. 
Normalmente as minhocas encontram-se bem enterradas onde têm a humidade que necessitam, escavando galerias e alimentando-se de restos vegetais que estão incorporados no solo.

As minhocas não têm pulmões, a sua respiração é cutânea, isto é, respiram através da cutícula que lhes reveste o corpo. 


 A epiderme das minhocas é coberta por uma fina cutícula de quitina e produz bastante muco, o que as torna viscosas, diminuindo o atrito com o solo e facilitando o deslocamento. Além da proteção, o muco facilita a respiração, pois garante a umidade indispensável para as trocas gasosas. O oxigênio dissolve neste revestimento mucoso, passa através da pele e alcança os vasos sanguíneos.
Quando chove muito a água infiltra-se no solo encharcando-o. Nessas situações, o ar existente no solo é substituído por água o que torna difícil a respiração das minhocas. Para evitar a asfixia, migram para a superfície até encontrarem zonas que lhes permitam respirar.
As minhocas necessitam humidade mas água em excesso é perigoso para elas.


sexta-feira, 10 de abril de 2015

Reprodução dos animais

       A reprodução é uma característica fundamental dos seres vivos. Assegura a perpetuação das espécies, permitindo a formação de novos indivíduos e, consequentemente, a continuidade da vida no nosso planeta.

       A Natureza adoptou numerosas, e por vezes fantásticas, estratégias de reprodução, que globalmente se podem agrupar em dois processos básicos:
            reprodução assexuada e reprodução sexuada.


A reprodução assexuada permite a formação de novos indivíduos a partir de um só progenitor, sem que haja a intervenção de células sexuais. 

Neste tipo de reprodução, os descendentes desenvolvem-se a partir de uma célula ou de um conjunto de células do progenitor, pelo que todos os indivíduos são geneticamente iguais.





         Na reprodução sexuada há intervenção de células sexuais — os gâmetas.

         A célula masculina, espermatozóide, junta-se à célula feminina, óvulo, ocorrendo o processo de fecundação do qual resulta o ovo ou zigoto.

Fecundação --»  óvulo + espermatozóide = ovo

Reprodução em ouriços-do-mar


Quando a reprodução é sexuada, existe geralmente um macho e uma fêmea.



Há espécies em que conseguimos distinguir facilmente o macho da fêmea pelas suas caraterísticas  físicas.

Quando isso acontece, diz-se que há DIMORFISMO SEXUAL.


Dimorfismo = Di (duas) morfismo (formas)

Duas formas diferentes - uma para o macho e outra para a fêmea








Símbolos de Feminino e Masculino



(ATUALIZAÇÃO DA MENSAGEM DE 30-11-11)
 

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Locomoção dos Animais - 1 ... Pernas...para que vos quero!

Nada melhor para perceber como se movem os animais vertebrados, que observar os seus esqueletos.

Se conseguirmos perceber onde está situado o calcanhar e o joelho, ficamos a saber se se deslocam por marcha ou por corrida. As patas em forma de "Z" são dos que saltam, claro! :)



Conhecem este animal? Apoia todo o pé no solo e por isso marcha.






 Este é o urso. Também marcha. Repara como toda a pata apoia no solo.




 Ups! Estranho sítio para se ter o calcanhar. Pois é! O cavalo está adaptado à corrida e por isso apenas apoia a ponta dos dedos no chão. Sabiam que os cascos dos cavalos são as suas unhas?


 Vamos compará-los? Um, dois, três, partida! Quem chegará primeiro?



Aos saltinhos...se vai ao longe.


Coelho






Quem quer voar?
Ossos leves, esterno em forma de quilha, lá vou eu pelo ar...



Hei! Eu não voo! Sou uma galinha.




(1ª publicação em 15-10-2010)

Locomoção dos animais 2 - ...Não tenho pernas, mas aqui não fico!

video
Todos tivemos oportunidade de observar nas nossas aulas o movimento do caracol, da minhoca, das cobras...
A este movimento chama-se reptação.

Deixo-vos um interessante documentário da BBC sobre o movimento e a velocidade das cobras.

Observa:
  • o modo como se movem;
  • as marcas que deixam no solo;
  • a velocidade da cobra em relação à do atleta.


video

Esqueleto de uma Cobra Cascavel


Neste vídeo podes observar o movimento da minhoca. O seu corpo é formado por anéis.

 video